Reto no Incerto

vou meter o Marlon Brando nas idéias e sair por aí…

Nota mental:

Assim como falsos consensos,
Falsos conflitos existem.

Sobre talento e sorte, quando não, empenho

Há uma velhice em mim
Que já nasceu comigo

Corpo curvo quando sento
Sinto, quando deito, a dor do meu futuro

Sonho e babo a fronha
Sonho e nunca lembro
Ombro enviesado que suporta o corpo
Braço morto não responderá tão cedo

Coisas que em meu colo caem
Gotas de suor que evito
Sono que me dá e cedo
Anos que me vão e eu fico

olá, lacônia!

Ocorre que talvez nos incomode,
à gente que prefere o feito ao dito,
o fato de quase só haver dizeres no existir binário.

#sobre a língua nº.2

Sobre a língua

O bom homem sai também do que sua boca retém.

#sobre a língua nº.1

Pelo bem de quem vem mal

Veterano voltado de guerra com uma perna não pode mais pisar em falso.
Veteranos voltados de guerra trazem consigo reduzidas possibilidades,
Coisas que se pode ou não fazer.

Veteranos voltados de guerra com uma perna,
a vós impera andar.

Por que envelheci tão cedo?

“Não sou jovem o suficiente para saber tudo.” Oscar Wilde
“Mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo.” Renato Russo

Juventude é certamente a medida da ignorância.
Da ignorância acerca da impotência humana.
Da ignorância acerca dos medos que vos cercam.
Do conhecimento desses medos e, ainda assim, da sua ignorância.

É porque ignorância comporta no meu português seus dois sentidos
Que hoje ergo minhas pelancas.

Ó pedaço d’eu que o rio levou,
Chegando ao mar o mar devolve.


Não devolve?